Governo italiano verifica idoneidade do centro que recebeu Eluana Englaro

Roma, 4 fev (EFE).- O ministro da Saúde da Itália, Maurizio Sacconi, anunciou hoje que foi pedida a verificação da idoneidade da clínica La Quiete, em Udine, no nordeste do país, para saber se podem proceder a suspensão da alimentação e hidratação de Eluana Englaro, a italiana de 38 anos em estado vegetativo desde 1992.

EFE |

Em declarações a um programa de rádio da "RAI", Sacconi disse que, para o Governo, o caso de Eluana não está fechado e que "não se pode tirar os olhos do que está acontecendo".

"Pedimos à região de Friuli-Venezia-Giulia (à qual pertence Udine) informação sobre como está habilitada e que terapias possui a clínica La Quiete, que é uma casa de repouso", disse Sacconi.

Acrescentou que acredita que a hospitalização de Eluana aconteceu só para receber "cuidados médicos".

A italiana está internada desde ontem nesta clínica de Udine, no nordeste da Itália, onde, nos próximos dias, uma equipe de voluntários suspenderá progressivamente a alimentação de Eluana - mas sem retirar a sonda nasogástrica - até a morte, como autorizou a Justiça italiana após o pedido da família.

O Governo de Silvio Berlusconi tentou se opor ao cumprimento da sentença do Tribunal Supremo, que em novembro autorizou o procedimento em Eluana.

O Ministério da Saúde proibiu, em 17 de dezembro do ano passado, que qualquer centro médico público ou privado interrompesse a alimentação de pacientes em estado vegetativo.

La Quiete é uma casa de repouso para idosos financiada pela Prefeitura de Udine, características que lhe permite passar pelo veto do Governo. EFE ccg/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG