Governo iraquiano reduz o tom de suas críticas ao Irã

Bagdá, 5 mai (EFE).- O Governo iraquiano reduziu o tom de suas críticas em direção ao Irã, país ao qual tinha acusado recentemente de ingerência em seus assuntos internos, por sua vez anunciou a criação de comitê de segurança para avaliar a situação.

EFE |

Segundo informam hoje os meios de imprensa iraquianos, o porta-voz governamental, Ali Dabbagh, explicou na noite de ontem que não há provas contundentes que demonstrem a interferência do Irã nos assuntos do Iraque.

No entanto, Dabbagh advertiu na entrevista coletiva que se forem encontradas provas irrefutáveis da intervenção do Irã, o país será defendido.

Nas últimas semanas, algumas acusações do Governo e do Exército iraquiano foram feitas contra o Irã por seu suposto respaldo aos milicianos xiitas que combatem contra as forças iraquianas em Bagdá e no sul do país.

Mas as palavras de Dabbagh, que suavizam as acusações, foram dirigidas especialmente contra uma comissão do Parlamento iraquiano que viajou na semana passada a Teerã com supostas provas da ingerência iraniana.

Dabbagh reiterou que o Governo de Nouri al-Maliki não é responsável por nenhum relatório tornado público por deputados do Parlamento e ressaltou que só o próprio primeiro-ministro tem o poder de fazer esse tipo de comunicados.

As palavras do porta-voz representam um claro giro na política do Executivo em direção ao Irã, que os analistas no Iraque atribuem ao desejo de Maliki de manter boas relações com o país vizinho e inimigo tradicional. EFE am-nq-er/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG