Governo iraquiano controlará Conselhos de Salvação a partir de outubro

Bagdá, 4 set (EFE).- O Governo iraquiano assumirá a partir de outubro o controle dos Conselhos de Salvação, as milícias sunitas que lutam contra os insurgentes sob a supervisão dos Estados Unidos.

EFE |

Em comunicado, o porta-voz do Executivo iraquiano, Ali al-Dabbagh, disse hoje que, a partir do próximo mês, "o Governo pagará os salários de seus membros e será responsável por supervisionar" os Conselhos de Salvação.

Na nota, divulgada pela agência de notícias "Aswat Al Iraq", Dabbagh elogiou o trabalho realizado por estas milícias sunitas desde sua criação, em outubro de 2006, dentro da estratégia para lutar contra a Al Qaeda no Iraque.

"Os Conselhos de Salvação cumpriram uma valente e patriótica missão, ao defender o Iraque e sua população dos grupos terroristas da Al Qaeda e das outras organizações armadas", ressaltou o porta-voz governamental.

Sobre o futuro da milícia, Dabbagh disse que 20% de seus membros se unirão às forças de segurança iraquianas, "após uma exaustiva análise de seu histórico", enquanto os outros serão destinados a trabalhos civis.

O porta-voz do plano de segurança em Bagdá, general Qasem Ata, disse, durante uma entrevista coletiva, que 13 mil membros dos Conselhos de Salvação já foram integrados nas forças de segurança, enquanto outros 45 mil farão o mesmo em breve.

A primeira destas milícias foi criada há quase dois anos pelos clãs árabes sunitas na província de Al-Anbar, no oeste do país, e a presença dessa força contribuiu para que os insurgentes saíssem da região.

Após o sucesso inicial, as tribos das províncias de Salah ad-Din e Diyala decidiram aplicar este modelo, que já se estendeu por outras províncias com presença de comunidades sunitas. EFE am/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG