Governo indiano desmente renúncia do conselheiro de Segurança Nacional

Nova Délhi, 30 nov (EFE) - O Governo da Índia desmentiu hoje a renúncia do conselheiro de Segurança Nacional, M.K.

EFE |

Narayanan, após os ataques terroristas a Mumbai, que causaram a morte de pelo menos 195 pessoas.

"As versões sobre a renúncia estão equivocadas. Narayanan continua sendo o conselheiro de Segurança Nacional", disse o porta-voz do Governo à agência "PTI".

Fontes oficiais citadas anteriormente pela emissora "NDTV" e a agência "Ians" tinham informado da renúncia e de que ela tinha sido aceita pelo primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, juntamente com o pedido de demissão do ministro do Interior indiano, Shivraj Patil.

Patil já teria sido substituído pelo ministro das Finanças, P.

Chindambaran, enquanto Singh acumulará o comando da economia do país, segundo uma nota da Presidência da Índia.

Singh convocou hoje uma reunião com os líderes dos principais partidos indianos para analisar a situação do país após os atentados a Mumbai, que mataram pelo menos 195 pessoas e feriram mais de 300, segundo o último cálculo oficial.

O líder do Partido Bharatiya Janata (BJP, Partido do Povo Indiano), Lal Krishna Advani, não participou da reunião, segundo a "NDTV".

O BJP considerou hoje insuficiente a renúncia de Patil e exigiu a demissão completa do Governo. EFE ja/wr/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG