Governo hondurenho acusa Zelaya de fomentar banho de sangue

O governo interino hondurenho disse nesta sexta-feira que o presidente deposto, Manuel Zelaya, que se encontra na fronteira entre Honduras e Nicarágua, promove a subversão e um banho de sangue, com o apoio de tropas estrangeiras.

AFP |

Zelaya "ignorou o apelo de instâncias internacionais, como o departamento americano de Estado, e de outros governos da América e do mundo que favorecem uma solução pacífica para a situação política de Honduras, e em seu lugar promove a subversão, o banho de sangue, o uso de tropas estrangeiras para ameaçar a soberania" nacional", denunciou a chancelaria em Tegucigalpa.

"O governo da República responsabiliza o senhor Hugo Chávez, presidente da República Bolivariana da Venezuela, o senhor Daniel Ortega, presidente da República da Nicarágua, e o senhor Zelaya Rosales por desprezo à vida humana e pelas consequências de suas ações de força", destaca o comunicado da chancelaria hondurenha.

nl/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG