Governo holandês injeta US$ 13,4 bi no maior banco do país

O governo da Holanda anunciou neste domingo que dará uma injeção de capital de 10 bilhões de euros (o equivalente a cerca de US$ 13,4 bilhões) no maior banco do país, ING, como parte de um pacote de socorro ao sistema financeiro nacional. O acordo foi acertado com o Ministério das Finanças e o banco central do país, e dará ao governo ações na instituição.

BBC Brasil |

O ING prevê prejuízos de 500 milhões de euros (o equivalente a cerca de US$ 670 milhões) no terceiro trimestre deste ano, devido à crise financeira internacional que levou à depreciação dos seus ativos.

Apesar da ajuda, o ministro das Finanças da Holanda, Wouter Bos, disse que o banco não está em perigo de falência. "Nós temos uma companhia saudável que tem a confiança de seus clientes."
O anúncio ocorre cerca de dez dias depois que o ING Direct assumiu a responsabilidade por 2,5 bilhões de libras esterlinas (cerca de R$ 8,5 bilhões) de 160 mil clientes britânicos do braço online do banco islandês Kaupthing, o Kaupthing Edge.

Na época, o ING dizia que mantinha uma posição de força, com mais de US$ 1,8 trilhão em ativos e 85 milhões de clientes em todo o mundo.

O diretor-executivo do ING, Michel Tilmant, disse que a situação mudou drasticamente nos úlitmos dias. A instituição se une agora a uma lista crescente de grandes bancos em todo o mundo que receberam injeções de capital de seus governos depois que investimentos ligados a hipotecas num total de bilhões de dólares acabaram se revelando sem valor algum.

    Leia tudo sobre: crise financeira

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG