Governo francês propõe votação no Parlamento sobre Afeganistão

Paris, 22 ago (EFE).- O Governo francês propôs hoje que o debate no Parlamento sobre a operação francesa no Afeganistão seja acompanhado de uma votação, como pediram membros da oposição de esquerda.

EFE |

Também se juntaram hoje a essa solicitação o ex-primeiro-ministro conservador Edouard Balladur, o ex-ministro socialista Jack Lang e o deputado do Partido Verde Noël Mamère.

O primeiro-ministro francês, François Fillon, "proporá aos presidentes" das duas Câmaras que "o debate sobre o Afeganistão", em setembro, seja seguido por uma votação, como prevê a Constituição recém-revisada, afirmou hoje o serviço de imprensa do chefe de Governo, em um breve comunicado.

Na quinta-feira, após a homenagem póstuma aos dez soldados franceses que morreram em uma emboscada dos talibãs na segunda-feira no Afeganistão, o Governo anunciou o debate sobre o Afeganistão no Parlamento quando forem retomadas as sessões parlamentares, a partir de 22 de setembro, como pedia a oposição de esquerda.

As baixas causadas por uma emboscada afegã foram as mais graves sofridas pelo Exército francês desde um atentado em Beirute em 1983, que matou 58 militares, e as piores em combate desde a guerra de independência da Argélia.

A morte dos soldados fez ressurgir as dúvidas sobre a estratégia francesa e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no Afeganistão, e as críticas feitas pela oposição de esquerda, quando, em abril, o presidente Nicolas Sarkozy, anunciou o envio de reforços ao país asiático, a pedido dos Estados Unidos.

A revisão da Constituição francesa adotada em julho prevê que o Governo peça autorização ao Parlamento quando a intervenção de forças francesas no exterior for superior a quatro meses. EFE al/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG