Governo francês favorável a investigar uso da burca

O governo francês se pronunciou a favor da comissão de investigação solicitada por quase 60 deputados de todo o espectro político que denunciam o uso do véu integral das mulheres muçulmanas (burca), e não descartou uma lei a respeito.

AFP |

"Se for comprovado depois da investigação que o uso da burca é algo imposto, ou seja, contrário aos princípios republicanos, naturalmente o Parlamento vai extrair todas as consequências", afirmou o porta-voz do governo Luc Chatel ao canal France 2.

Ao ser questionado sobre a eventualidade de uma lei a respeito, o porta-voz respondeu: "Por quê não?".

Depois que, no início de junho, o presidente Barack Obama pediu aos países ocidentais a não interferir na prática religiosa dos muçulmanos, o controverso tema do véu das muçulmandas voltou à pauta na França.

O debate ganhou mais força há dois dias, quando os deputados, tanto de esquierda como de direita, pediram a criação de uma comissão parlamentar a respeito.

"Nos bairros vemos hoje o uso por parte de certas mulheres muçulmanas da burca, que vela e esconde integralmente o corpo e a cabeça em verdadeiras prisões ambulantes", afirmou o deputado comunista André Gerin, um dos promotores da iniciativa.

Representantes muçulmanos na França já manifestaram reservas a respeito do tema. A religião no contexto do laicismo, sobre o qual se sustenta a República francesa, é um tema muito delicado.

O uso do véu nas escolas provocou um intenso debate que resultou, em 2004, em uma lei que proíbe a utilização de qualquer sinal religioso ostentatório.

bur/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG