Governo francês abandona projeto da taxa carbono

O primeiro-ministro francês, François Fillon, anunciou nesta terça-feira a vários deputados que seu governo vai abandonar a proposta de uma taxa carbono, alegando que a mesma deveria ser aplicada em nível europeu e não pesar na competitividade das empresas francesas, segundo indicaram vários parlamentares.

AFP |

"É preciso dar prioridade ao crescimento, ao emprego, à competitividade, à luta contra os déficits", afirmou o primeiro-ministro.

O projeto da taxa carbono, um imposto ecológico idealizado pelo presidente Nicolas Sarkozy, muito criticado mesmo dentro de seu próprio partido, estava claramente ameaçado depois da derrota da direita nas eleições regionais de domingo.

Nesta terça-feira, o líder do partido do presidente, a União por um Movimento Popular (UMP), Xavier Bertrand, afirmou que a aplicação dessa taxa era muito complicada e se pronunciou por um tratamento europeu da questão.

O primeiro projeto de aplicação da taxa já havia sido censurado no final de dezembro pelo Conselho Constitucional e o governo devia apresentar outro.

Na ocasião, o Conselho Constitucional, a instituição encarregada de verificar a conformidade das leis com a Constituição, aplicou um duro golpe no chefe de Estado ao anular seu projeto porque o mesmo possuía muitas isenções em favor dos maiores poluidores.

Uma nova versão foi apresentada no início do ano pelo governo, com o objetivo de aplicar a taxa a partir de 1º de julho.

Leia mais sobre: Carbono

    Leia tudo sobre: carbonofrancafrança

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG