Manila, 9 ago (EFE).- O Governo das Filipinas e a Frente Democrática Nacional, que reúne os rebeldes comunistas, adiaram até outubro a retomada das negociações de paz que manterão na Noruega, anunciaram hoje fontes oficiais.

O adiamento foi decidido pelas duas partes, depois que, a princípio, decidiram retomar as conversas no final deste mês, em Oslo.

"Chegamos a um acordo, as conversas formais serão retomadas na última semana de outubro, por isso o processo avança", disse Avelino Razón, assessor de segurança da presidente filipina, Gloria Macapagal Arroyo, em entrevista coletiva.

As conversas de paz entre o Governo e a Frente Democrática Nacional ficaram bloqueadas em 2004, pelo fato de os comunistas exigirem que sua plataforma fosse retirada da lista de organizações terroristas e que as autoridades filipinas pedissem aos insurgentes a declaração de uma trégua.

Em julho, o ministro da Presidência filipino, Eduardo Ermida, disse que nenhuma das duas condições já estava sobre a mesa, e anunciou a entrada em vigor do acordo bilateral que garante a imunidade para os negociadores do movimento insurgente.

Macapagal Arroyo disse várias vezes que seu objetivo é acabar com a guerrilha comunista antes do fim de seu mandato, em meados de 2010.

O Novo Exército do Povo, braço armado do ilegal Partido Comunista das Filipinas, conta com entre 5,7 mil e 7,2 mil combatentes e está em conflito armado contra o Governo desde sua criação, em 1969. EFE mfr/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.