Governo espanhol: "ETA tem que deixar a violência de todo, para sempre"

Autoridades acreditam que o comunicado do grupo ETA é insuficiente

EFE |

O ministro do Interior espanhol, Alfredo Pérez Rubalcaba, afirmou hoje que o comunicado no qual o grupo terrorista ETA anuncia um novo cessar-fogo é "insuficiente", porque a organização "tem que deixar a violência de todo, para sempre".

Estas são as primeiras declarações do titular espanhol do Interior sobre o anúncio da ETA de não realizar "ações armadas ofensivas", divulgado este domingo pela rede pública britânica "BBC". Rubalcaba insistiu em que o Governo espanhol não vai mudar uma "vírgula" em sua política antiterrorista nem está negociando com a ETA.

Por sua vez, o ministro de Fomento e vice-secretário-geral do PSOE, José Blanco, considerou que o comunicado é uma "oportunidade perdida", já que não vem precedido do abandono definitivo das armas e da violência, e avaliou a "opinião unânime de todas as forças democráticas" frente ao anúncio da ETA.

María Dolores de Cospedal, secretária-geral do conservador Partido Popular, o principal da oposição na Espanha, insistiu hoje em que o único comunicado da ETA "que vale" é o que anuncie que abandona as armas e lembrou que sempre que se aproximam eleições há declarações similares do grupo armado.

O cessar-fogo do grupo foi recebido com ceticismo pelos partidos políticos espanhóis e com a exigência de que o único passo que deve dar a organização é o abandono das armas e sua dissolução.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG