Governo espanhol desapropria casas na costa do país

VALENCIA, Espanha - O sonho de milhões de pessoas, uma casa na praia da ensolarada Espanha, pode ir por água abaixo. Pessoas de toda a Europa que investiram suas economias em casas e apartamentos costeiros terão que lidar com uma nova medida do governo que busca limpar as costas cheias de concreto do país depois de décadas de abusos.

AP |

Reforçando o cumprimento de uma negligenciada lei de 1988, o governo socialista está endurecendo o tratamento do que constitui domínio público da costa, o trecho de terra que começa onde o mar termina, e dizendo aos milhares de pessoas que suas propriedades não lhe pertencem.

"De repente recebemos um aviso de que a casa que temos a mais de 30 anos não pé mais nossa", disse o engenheiro britânico aposentado Clifford Carter, 59, que vive na Espanha com sua mulher em La Casbah, um complexo beira-mar.

"A casa foi construida legalmente, mas agora dizem que só poderemos viver aqui até quando morrermos, mas não podemos vender ou deixar para nossos filhos", disse Carter.

O medo de perder casas na costa espanhola acontece em meio a turbulências no mercado imobiliário do País, uma situação que alguns acreditam ter relação com a crise financeira internacional e seus originários, o escândalo dos financiamentos nos EUA. Ainda que os problemas da costa espanhola não tenha relação direta com a crise financeira, ambos envolvem negócios escusos que geralmente explodem nas mãos dos proprietários individuais.

Um grupo de protesto formado em janeiro afirma que já representa mais de 20,000 pessoas ao longo da costa.  Segundo o grupo, outro meio milhão de casas e apartamentos, além de restaurantes e hotéis, pode atingido.

A maioria dos proprietários é composta por espanhóis, mas muitos estrangeiros também sofrerão com a medida.

    Leia tudo sobre: espanha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG