Governo espanhol contata 30 cidadãos no Haiti

Madri, 14 jan (EFE).- O Governo espanhol estabeleceu contato com cerca de 30 dos 100 espanhóis residentes no Haiti, disse hoje a secretária de Estado de Cooperação espanhola, Soraya Rodríguez.

EFE |

"Já temos um número muito grande de pessoas que contatamos", disse Rodríguez, em uma entrevista à rede pública "RTVE".

Acrescentou que falta localizar ainda "muitos espanhóis que estavam no Haiti, mas esperamos fazer isso nas próximas horas".

Entre os desaparecidos, está o cônsul do Haiti em Barcelona, Marc Antoine Archer Saint-Cyr, e sua esposa, a espanhola Ana Belio, que viajaram ao Haiti em 1º de janeiro.

Além disso, não há notícias do paradeiro da espanhola Pilar Juárez, que trabalha no serviço diplomático da UE no Haiti, informou o Governo espanhol.

Até o momento, a Espanha enviou um avião com ajuda humanitária a partir de sua base logística no Panamá, e ontem à noite saiu outro de Madri com equipes de resgate.

Está previsto que, nas próximas horas, a Espanha envie outro avião com ajuda.

O terremoto de 7 graus na escala Richter aconteceu às 19h53 de Brasília da terça-feira e teve epicentro a 15 quilômetros de Porto Príncipe, a capital do Haiti. O primeiro-ministro do país, Jean Max Bellerive, cifrou o número de mortos em "centenas de milhares".

O Exército brasileiro confirmou que pelo menos 14 militares do país que participam da Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (Minustah) morreram em consequência do terremoto.

A brasileira Zilda Arns, fundadora e coordenadora da Pastoral da Criança, ligada à Igreja Católica, também morreu no tremor. EFE arv/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG