Governo espanhol admite atraso maior que previsto na identificação de corpos

Madri, 24 ago (EFE) - O Governo da Espanha admitiu hoje que a identificação por DNA das vítimas do acidente aéreo no aeroporto de Barajas, em Madri, está durando mais que o previsto, e afirmou que o importante é dizer a verdade às famílias. Apenas 24 horas depois de afirmar que a grande maioria das 154 vítimas fatais da catástrofe seria identificada hoje, o ministro do Interior espanhol, Alfredo Pérez Rubalcaba, voltou atrás e disse que a prioridade é garantir todos os reconhecimentos. Pérez Rubalcaba evitou dar números sobre quantas vítimas já foram identificadas, seja por impressões digitais ou por exames de DNA, mas fontes do Ministério do Interior afirmaram nas últimas horas que 62 corpos já tinham sido reconhecidos, sete deles por amostras de material genético. Para o ministro, a rapidez em identificar os corpos das vítimas do vôo JK5022, da companhia Spanair, é importante, assim como a segurança no reconhecimento das vítimas. Temos que estar seguros de que o que estamos dizendo às famílias é a verdade, declarou o ministro. Por isso, peritos da Guarda Civil e da Polícia Nacional que supervisionam o processo de identificação por DNA se reuniram em um hotel em Madri com parentes das vítimas para explicar os problemas que estão surgindo. Em acidentes tão dramáticos como o de quarta-feira no aeroporto de Barajas, disse o ministro, o DNA das vítimas não está bom, por isso a identificação leva tempo. Os peritos confirmaram às famílias ...

EFE |

Este modelo, disse, tem índice de 0,26 acidente por cada milhão de horas de vôo, um dos mais baixos da aviação comercial. EFE nac/wr/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG