Governo e oposição paquistaneses dão sinais de reconciliação

Nova Délhi, 17 jul (EFE).- O presidente paquistanês, Asif Ali Zardari, se reuniu hoje, pela primeira vez em oito meses, com o principal líder da oposição, Nawaz Sharif, e ambos se comprometeram a suprimir os poderes presidenciais introduzidos na Constituição pelo general Pervez Musharraf.

EFE |

Após o encontro, na cidade de Raiwind, o governante Partido Popular (PPP) de Zardari e a Liga-N de Sharif emitiram um comunicado conjunto para reiterar sua intenção de "democratizar a Constituição paquistanesa".

"Os dois partidos reiteraram seu compromisso com os princípios estabelecidos pela Carta da Democracia para democratizar a Constituição e cancelar todas as cláusulas antidemocráticas, incluindo a 17ª emenda", aponta a declaração conjunta, divulgada pelo canal privado "Dawn".

A Carta da Democracia é um documento assinado em 2006 por Sharif e a falecida esposa de Zardari, a ex-primeira-ministra Benazir Bhutto, que significa uma aliança contra Musharraf.

Desde as eleições de fevereiro de 2008, as duas principais forças políticas do Paquistão formaram o Governo, embora a aliança tenha sido quebrada quando Zardari se negou a cumprir sua promessa de eliminar os poderes presidenciais.

Desde então, as relações entre os líderes foram tensas, mas Zardari lançou mensagens conciliadoras nas últimas semanas e, no início deste mês, já anunciou que defende a derrogação da polêmica 17ª emenda, que dá poderes ao líder de Estado para dissolver o Parlamento e fechar o Governo. EFE amp/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG