Governo dos EUA substitui seu máximo representante em Cuba

Washington, 16 mai (EFE).- O representante da diplomacia dos Estados Unidos em Cuba, Michael Parmly, deixará seu cargo à frente do Escritório de Interesses em Havana (Sina), confirmou o Departamento de Estado americano.

EFE |

Parmly, que assumiu a liderança da diplomacia americana em Cuba em setembro de 2005, será substituído pelo subsecretário de Estado adjunto para Democracia, Direitos Humanos e Assuntos Trabalhistas, Jonathan Farrar.

Parmly chegou a Havana para suceder James Cason, que protagonizou vários desencontros com as autoridades cubanas, que lhe batizaram de "cabo Cason".

O atual chefe da Sina também foi alvo de críticas do Governo cubano, que chegou em 2006 a referir-se ao diplomata americano como "idiota e bandido", entre outros insultos, pela decisão de Washington de instalar em sua sede diplomática uma tela para transmitir notícias e artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

O sucessor de Parmly tem grande experiência em assuntos latino-americanos, e já esteve nas embaixadas americanas em México, Belize, Paraguai e Uruguai.

No Departamento de Estado, ele se ocupava até agora de tarefas alocadas no Escritório de Assuntos do Hemisfério Ocidental como subdiretor do Escritório para Assuntos Andinos e também se encarregava da Argentina. EFE cai/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG