Governo dos EUA registra dados de cidadãos que cruzam fronteiras terrestres

Washington, 20 ago (EFE).- O Governo dos Estados Unidos começou a recolher informações sobre os cidadãos americanos que cruzam suas fronteiras por terra, que ficarão guardadas por até 15 anos, afirmou hoje o diário The Washington Post.

EFE |

"O Governo federal usou seu sistema de controles nos postos de cruzamento de fronteira para ampliar enormemente sua base de dados sobre os viajantes que entram no país", indicou o artigo, que cita como fonte funcionários não identificados.

A coleta de fundos inclui os dados de todos os cidadãos dos Estados Unidos que cruzam a fronteira por terra, e os dados recolhidos serão guardados por 15 anos, e poderão ser usados em investigações criminais e de inteligência, segundo o diário.

O sistema faz parte de "um esforço mais amplo para proteger o país de ameaças terroristas", segundo a publicação.

"Também reflete um crescente número de sistemas do Governo que contêm informações pessoais sobre os americanos, que podem ser acessadas para uma ampla gama de propósitos policiais e de espionagem", acrescentou.

Greg Nojeim, advogado do Centro para Democracia e Tecnologia, disse ao "Post" que "o povo espera que o Governo controle a entrada no país e determine se é admissível ou não".

"O que não se espera é que o Governo guarde um registro de suas entradas no país durante 15 anos", criticou.

Russ Knocke, um porta-voz do Departamento de Segurança Nacional, indicou que o período de conservação das fichas se justifica, segundo assinalou o "Post".

"A história mostrou que, seja no caso de atividades criminosas ou políticas, a conspiração, o planejamento ou ainda as relações entre os conspiradores podem durar vários anos", explicou o funcionário.

"Os registros básicos de viagens podem, literalmente, ajudar os investigadores a conectar os dados", disse Knocke. EFE jab/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG