Governo do Zimbábue rejeita visita de Carter, Annan e Graça Machel

Harare, 20 nov (EFE).- O Governo do Zimbábue rejeita a visita anunciada ao país do ex-secretário-geral da ONU Kofi Annan, do ex-presidente dos Estados Unidos Jimmy Carter e da defensora dos Direitos humanos Graça Machel, ao considerá-los hostis, informa hoje o jornal oficial The Herald.

EFE |

A visita, prevista para o próximo domingo, tem como finalidade fazer com que os três membros do Grupo dos Anciãos, com experiência na resolução conflitos, avaliem a situação humanitária no Zimbábue, imerso em uma profunda crise política desde as eleições presidenciais de junho passado.

Para o Governo do presidente, Robert Mugabe, e sua União Nacional Africana do Zimbábue-Frente Patriótica (Zanu-PF), a visita é "uma missão partidária de pessoas com interesses partidários", em um momento no qual está sobre a mesa a formação de um Governo de união nacional.

"O Governo deseja saber quem representa esta missão e a quem informa", diz o jornal oficial, que acrescenta que "são bem conhecidas as atitudes de alguns dos membros deste grupo" com relação ao Governo do Zimbábue, submetido a sanções internacionais, especialmente por parte dos EUA e da União Européia.

O Grupo dos Anciãos, composto por cerca de 12 personalidades internacionais, foi criado em 2007 por Machel e seu marido, o ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, e inclui o bispo sul-africano Desmond Tutu, conhecido crítico do Governo de Mugabe.

No passado Annan afirmou que aliviar o sofrimento de milhões de zimbabuanos atingidos pela crise econômica sem precedentes que sofre o país, e que se agrava dia a dia, "será a prioridade dos líderes do Zimbábue". EFE sk/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG