Governo do Zimbábue cede Ministério das Finanças à oposição

Harare, 3 out (EFE).- A governamental União Nacional Africana do Zimbábue-Frente Patriótica (Zanu-PF) e o Movimento para a Mudança Democrática (MDC) chegaram hoje a um acordo na divisão dos ministérios por meio do qual o partido opositor assumirá o Ministério das Finanças, informaram à Agência Efe fontes do Governo.

EFE |

A decisão do Zanu-PF de ceder um dos ministérios mais importantes para a gestão do país chega após o MDC declarar não estar disposto a ficar relegado a uma segunda posição na liderança do Zimbábue como pretendia o atual Governo.

Apesar de o porta-voz do MDC, Nelson Chamisa, não querer confirmar a notícia, fontes do Zanu-PF disseram à Efe que os dois partidos estão "muito perto de assinar um acordo quanto à distribuição dos outros ministérios" e que as negociações continuam.

No entanto, a disposição das pastas mais relevantes, como os Ministérios de Interior, Exteriores e Agricultura ainda não é certa, pois os dois partidos expressaram o desejo de ficarem com os mesmos.

O Zimbábue ainda não foi capaz de formar o Governo de unidade que o presidente Robert Mugabe e os líderes da oposição, Morgan Tsvangirai e Arthur Mutambara, combinaram há mais de duas semanas.

O acordo foi assinado no dia 15 de setembro sob a mediação da Comunidade para o Desenvolvimento da África Meridional (SADC), representada pelo então presidente da África do Sul, Thabo Mbeki.

Apesar de se acreditar que o acordo permitirá tirar o país da profunda crise política e econômica na qual se encontra, a dúvida está em se Mbeki continuará atuando como intermediário entre os partidos para que o processo possa ser completado.

Segundo Chamisa, o MDC defende que Mbeki volte ao Zimbábue para continuar com seu trabalho de mediador apesar de ter apresentado sua renúncia como presidente da África do Sul há alguns dias. EFE sk/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG