Governo do Zimbábue aceita prestar contas a países vizinhos

HARARE - O governo do Zimbábue afirmou nesta quinta-feira que está disposto a participar de uma avaliação do processo posterior às últimas eleições do país em uma cúpula regional convocada para o próximo sábado, na capital da Zâmbia.

EFE |


"É um procedimento normal", afirmou o ministro da Informação do Zimbábue, Sikhanyiso Ndlovu, em declarações publicadas hoje pelo jornal governamental "The Herald", ferramenta utilizada pelo governo de Robert Mugabe para divulgar suas posições.

A cúpula da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC, em inglês), que reúne os 14 países do sul do continente, foi convocada ontem pelo presidente rotativo da organização, o chefe de Estado da Zâmbia, Levy Mwanawasa.

A reunião extraordinária, segundo Mwanawasa, analisará "a maneira de assistir ao povo do Zimbábue" após as eleições de 29 de março e de tentar superar "o atual ponto morto" surgido após o pleito.

A Comissão Eleitoral se nega a divulgar os resultados das últimas eleições presidenciais, que a oposição afirma ter vencido. Já o partido governante se queixou de erros na apuração e está pedindo a recontagem dos votos.

Ndlovu destacou as "excelentes relações e cooperação do Zimbábue com seus vizinhos" e assinalou que, na cúpula da SADC, o Governo de Harare informará ao bloco regional o "desenvolvimento político (no país) após as eleições".

Leia mais sobre: Zimbábue

    Leia tudo sobre: zimbábue

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG