Governo do Sudão e rebeldes concluem conversas sem acordo

Cairo, 19 jun (EFE).- O Governo do Sudão e os rebeldes de um grupo de Darfur concluíram hoje uma rodada de conversas em Doha, fechada sem acordo, depois de três semanas de negociação, informou a emissora Al Jazira.

EFE |

O Executivo e o Movimento de Justiça e Igualdade (MJI) retomarão as conversas de paz sobre Darfur, no oeste do Sudão, dentro de dois meses, depois de finalizar a rodada com acusações mútuas por seu fracasso.

O chefe da delegação do Governo sudanês Omar Amin Hassan disse à "Al Jazira", que "as negociações alcançaram um ponto morto depois que o MJI rejeitou envolver mais grupos rebeldes nas conversas".

"Queríamos trazer à mesa de negociação mais facções envolvidas no conflito, mas a outra parte rejeitou este pedido", disse Hassan.

Por outro lado, o representante do MJI no Catar, Ahmad Taqad, acusou o Executivo de descumprir com o pacto para a libertação de prisioneiros.

O Governo e o MJI iniciaram conversas de paz no Catar em fevereiro, com o objetivo acabar com o conflito de Darfur, começado em 2003, quando o grupo rebelde e o Movimento para a Libertação do Sudão (MLS) se juntaram contra o regime de Cartum, pela pobreza e marginalização da zona.

As duas partes alcançaram um acordo de boas intenções para iniciar o diálogo, mas, pouco depois, o MJI se retirou das conversas por causa da expulsão de treze ONGs de Darfur, em represália pela ordem de prisão contra o presidente Omar al-Bashir, pelos crimes cometidos na região.

O MJI se transformou no principal grupo rebelde de Darfur, por causa das fusões com o MLS.

Uma das facções do MLS, liderada por Minni Minaui, assinou um acordo de paz com o Governo do Sudão, no dia 5 de maio de 2006, em Abuja, a capital da Nigéria, mas as tentativas de envolver mais movimentos rebeldes nesse pacto fracassaram até hoje. EFE nq-ssa/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG