O governo do Paquistão anunciou nesta segunda-feira ter colocado na clandestinidade o movimento Talebã do país, chamado de Tehreek-e-Taleban Pakistan (TTP). Segundo Rehman Malik, conselheiro do primeiro-ministro paquistanês para assuntos internos, a decisão foi tomada devido ao suposto envolvimento do grupo militante em vários atentados desde 2007.

"Eles próprios admitiram a autoria de diversos ataques suicidas, e o governo não pode dialogar com esse tipo de gente", disse Malik.

Segundo o Ministério do Interior, contas bancárias e ativos da organização serão congelados.

O TTP é um grupo de militantes liderado por Baitullah Mehsud. A base do grupo está na região tribal do Waziristão do Sul, na fronteira entre o Paquistão e o Afeganistão.

Impacto
Na semana passada, o grupo reivindicou a autoria de um ataque duplo contra uma fábrica de armas que deixou mais de 60 mortos.

Ainda não está claro qual impacto a decisão do governo terá sobre o grupo.

O Talebã disse que a medida do governo vai fazer com que o grupo fique mais unido e atraia mais apoio.

Segundo o correspondente da BBC em Islamabad Charles Haviland, o Talebã no Paquistão luta pelo estabelecimento de um Estado islâmico e considera uma "obrigação religiosa" combater as forças internacionais no Afeganistão.

Em uma entrevista em maio, Mehsud disse que sua organização não queria combater o Exército paquistanês, mas era forçada a lutar porque as Forças Armadas do Paquistão "são escravas das exigências dos Estados Unidos".

Haviland disse que já foram firmados diversos acordos de cessar-fogo com o Talebã e outros grupos militantes que atuam no Paquistão, mas até agora nenhum acordo conseguiu acabar com a violência na região.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.