Governo do México ganhará luta contra cartéis de drogas diz Janet Napolitano

A secretária de Segurança Interna dos Estados Unidos, Janet Napolitano, declarou nesta terça-feira que o governo mexicano não vai falhar na luta contra o narcotráfico, destacando que o papel dos Estados Unidos é dar assistência ao país vizinho nesta batalha.

AFP |

"Essa batalha também é do nosso próprio interesse", disse Napolitano na Casa Branca, ao apresentar à imprensa um plano do governo de Barack Obama de reforço à segurança na fronteira.

"Necessitamos ser capazes de compartilhar a informação, queremos compartilhá-la e nos assegurarmos de que não caia em mãos dos cartéis", disse Napolitano ao ser ouvida pela imprensa sobre o posicionamento de seu governo nessa luta.

A corrupção das forças de segurança mexicanas, no mais alto nível, sempre foi "historicamente um problema", acrescentou, garantindo, no entanto, que seu governo dispõe das "ferramentas" necessárias para lutar contra isso.

Entre as medidas aprovadas está o aumento da presença do pessoal de inteligência americana no México, disse Napolitano.

Atualmente, o quadro funcional da principal agência de luta contra o narcotráfico, DEA (Drug Enforcement Administration) na capital mexicana se eleva a 11 agentes.

Vários funcionários que ocupavam altos cargos na inteligência mexicana contra o crime organizado foram detidos ou expulsos em 2008 por estarem a serviço dos cartéis da droga.

O plano apresentado por Napolitano inclui, também, a criação de um centro de coordenação de inteligência regional do FBI na fronteira sul.

Entre 300 e 400 agentes civis americanos, pertencentes a diversas agências, serão mobilizados na fronteira sudoeste, declarou à AFP Daniel Restrepo, assessor presidencial para Assuntos Latino-Americanos do governo Obama.

Esses agentes apoiarão os policiais locais. Do lado mexicano foram registrados ano passado mais de 5.300 mortes, e 1.100 durante o ano.

Ao ser ouvida sobre o muro fronteiriço entre ambos os países, Napolitano confirmou que seu governo vai continuar a construi-lo, embora tenha mostrado cepticismo sobre sua utilidade na luta contra o narcotráfico.

"Um muro não é a melhor maneira de gastar nossos dólares, nem de prevenir o ingresso de drogas" nos Estados Unidos, disse.

Depois de anos de controvérsias, o Senado americano aprovou em setembro de 2006 a construção de 1.126 quilômetros de muro, dos quais foram levantados 800 até dezembro do ano passado, de acordo com fontes da Patrulha de Fronteira.

Segundo um relatório do Departamento de Justiça dos EUA, os cartéis mexicanos de drogas representam a maior ameaça do crime organizado ao território americano.

jz/du/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG