Governo do Japão renuncia para permitir eleição de Hatoyama

TÓQUIO - O Governo do primeiro-ministro japonês, Taro Aso, apresentou nesta quarta-feira sua renúncia, para permitir que o Parlamento eleja dentro de algumas horas Yukio Hatoyama, de 62 anos, como novo chefe do Executivo.

EFE |

Hatoyama, presidente do Partido Democrático (PD), será eleito hoje pela Câmara Baixa primeiro-ministro do Japão, após ter vencido as eleições gerais de 30 de agosto por maioria absoluta.

Aso assumiu o Governo em 24 de setembro de 2008, e hoje renunciou junto com os 17 ministros que integravam seu Gabinete, informou a agência local "Kyodo".

Yukio Hatoyama, que decidiu governar em coalizão com duas legendas minoritárias, será o primeiro chefe do Governo do Japão desde 1955 a não pertencer ao Partido Liberal-Democrata (PLD), a exceção de um breve período em meados dos anos 90.

Será ainda o quinto primeiro-ministro do Japão em apenas cinco anos, após Junichiro Koizumi, Shinzo Abe, Yasuo Fukuda e Taro Aso.

Além disso, será o quarto premier descendente de outro chefe de Governo, pois seu avô, Ichiro Hatoyama, governou o país de dezembro de 1954 a dezembro de 1956.

A votação na Câmara de Representantes está marcada para as 13h locais (1h de Brasília) desta quarta-feira, e sua eleição está garantida devido ao fato de PD contar com 308 das 480 cadeiras da Casa, além das dez de seus dois partidos aliados, o Social Democrata (PSD) e o Novo Partido do Povo (PNP).

A eleição de Hatoyama será votada ainda no Senado, também dominado pela futura coalizão governamental, por isso sua nomeação como primeiro-ministro está assegurada. 

    Leia tudo sobre: japão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG