O governo do Irã vai implantar uma rede de agências para auxiliar os jovens a encontrarem parceiros para se casar. As agências vão aconselhar os jovens sobre o modo como se encontrar os parceiros ideais para o matrimônio.

Segundo o correspondente da BBC em Teerã, Jon Leyne, achar um parceiro para se casar no Irã é complicado, na medida em que há diversas limitações em relação a encontros sociais entre homens e mulheres.

A maioria dos casamentos no Irã não é exatamente arranjada, mas os parentes normalmente se incumbem de apresentar os possíveis pretendentes.

Há inclusive organizações "casamenteiras" privadas, que funcionam na verdade como facilitadoras de encontros e são normalmente dirigidas por religiosos.

Nível educacional
O governo usou o aniversário do casamento de Ali, o primeiro imã xiita, com Fátima, a filha do profeta Maomé, para anunciar várias medidas para estimular a instituição do casamento.

Além dos centros que vão aconselhar os jovens sobre como acharem o parceiro ideal, bancos também vão oferecer mais empréstimos para o pagamento de casamentos.

Muitas iranianas reclamam das dificuldades de se arranjar um marido com seu nível de educação, em um momento em que 60% dos alunos das universidades do país são mulheres.

Segundo o correspondente da BBC, mesmo com as restrições da República Islâmica, muitos jovens continuam trocando números de telefones para conseguir encontros, que algumas vezes são considerados ilegais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.