Governo do Iêmen acusa rebeldes de violar cessar-fogo

Sana, 5 set (EFE).- O Governo iemenita acusou hoje os rebeldes xiitas da província de Saada de violar o cessar-fogo poucas horas após sua entrada em vigor, na sexta-feira às 15h de Brasília.

EFE |

"Apesar das autoridades terem cumprido com sua decisão de ontem de deter as hostilidades para facilitar o trabalho humanitário para os desabrigados, os terroristas sabotadores, como de costume, violaram o acordo e continuaram suas agressões", disse o Governo em comunicado.

A Comissão Suprema de Segurança proclamou ontem a entrada em vigor de um cessar-fogo que diz haver posto em prática antes da hora assinalada, mas denuncia que os insurgentes atacaram ao Exército nas zonas de Almalahit em Saada e Harf Sufian, na província de Omran.

Por último, o Governo responsabiliza aos "hutis", os xiitas seguidores de Abdel Malek al Huti, "das consequências de suas agressões".

Segundo pôde comprovar Efe, as comunicações telefônicas com a província de Saada estavam deterioradas, pelo que não se pôde contatar fontes ligadas aos rebeldes.

O Exército e as forças de segurança iemenitas começaram no dia 11 de agosto uma ampla ofensiva contra os rebeldes xiitas desta província nortista, fronteiriça com a Arábia Saudita, embora ontem à noite declarassem um cessar-fogo unilateral.

A luta dos seguidores dos rebeldes começou em abril de 2004 depois que esse grupo acusasse ao Governo de Sana de ignorar as reivindicações da população dessa zona. EFE ka/fk

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG