Governo do Chile decreta luto por Alfonsín

Santiago do Chile, 2 abr (EFE).- O Governo do Chile decretou hoje luto oficial pela morte, na terça-feira, do ex-presidente argentino Raúl Alfonsín, que resolveu disputas de território entre os dois países.

EFE |

O decreto do Ministério do Interior assinala que o Governo do Chile "reconhece o importante papel cumprido pelo ex-presidente Alfonsín na solução definitiva da fronteira sul entre nosso país e a República Argentina, com a assinatura do Tratado de Paz e Amizade de 1984".

No texto, o Governo chileno também "ao sentimento de pesar que enluta à República Argentina e estima necessário honrar a memória do ex-presidente Alfonsín".

Durante o Governo de Raúl Alfonsín (1983-1989) foi assinado esse tratado que encerrou não só essa disputa territorial -que levou os dois países à beira de uma guerra, evitada por mediação do papa João Paulo II, em 1978- mas todos os assuntos de fronteira que estavam pendentes.

Curiosamente, a crise entre Chile e Argentina se deu quando ambos os países viviam sob regimes militares semelhantes e foi resolvida por um acordo entre dois governantes de características opostas, Alfonsín e o general Augusto Pinochet (1915-2006), que governava o Chile desde 1973. EFE ns/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG