(Atualiza com anúncio oficial e acrescenta declarações do primeiro-ministro canadense). Toronto (Canadá), 30 dez (EFE).- O primeiro-ministro canadense, Stephen Harper, confirmou hoje a suspensão das sessões do Parlamento do país até o dia 4 de março do 2010, uma controversa medida que foi chamada pela oposição como uma afronta à democracia.

A suspensão do Parlamento daria a Harper três meses de fôlego político e coincide com a realização dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2010 na cidade canadense de Vancouver.

"Nossa prioridade na nova sessão do Parlamento continuará sendo a rápida e efetiva implementação do Plano de Ação Econômica do Canadá para beneficiar comunidades, trabalhadores e empresas", disse Harper por meio de um comunicado.

"Embora vejamos sinais provisórios e iniciais de que a economia está emergindo da recessão, a recuperação continua frágil. Agora não é o momento de mudar de curso", acrescentou o primeiro-ministro.

Nos últimos meses, a imagem do Governo canadense foi afetada dentro e fora do país por sua postura nas negociações sobre a mudança climática em Copenhague e por acusações de que entregou detidos no Afeganistão para que fossem torturados pelas autoridades de Cabul.

A suspensão das atividades do Parlamento é uma controvertida e incomum medida. Além disso, seria a segunda vez em dois anos que Harper a utiliza para evitar complicações.

Hoje, um dos líderes do Partido Liberal, o principal da oposição, Ralph Goodale, declarou que a suspensão seria "uma incrível afronta à democracia". Outros parlamentares opositores disseram que não há razões que justifiquem a suspensão e que é uma "fraude política".

Em dezembro de 2008, Harper solicitou e obteve a suspensão do Parlamento quando três legendas da oposição - Partido Liberal, Bloco Quebequense e Partido Nova Democracia - anunciaram que formariam uma coalizão para derrubar o Governo do Partido Conservador.

À época, a suspensão do Parlamento, que tem que ser outorgada pela governadora-geral canadense, Michaëlle Jean (representante da rainha da Inglaterra, chefe de Estado do Canadá), provocou o colapso da coalizão e permitiu que Harper continuasse governando.

Porém, muitos especialistas constitucionais advertiram que a suspensão abria um grave precedente contra democracia canadense.

Agora, a suspensão da sessão do Parlamento também permitirá que Harper nomeie mais conservadores no Senado para que em março seu partido tenha a maioria na Casa. EFE jcr/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.