Washington, 12 set (EFE).- A administração da governadora do Alasca, Sarah Palin, candidata republicana à Vice-Presidência dos Estados Unidos, ameaçou tomar medidas judiciais que bloqueariam uma investigação do poder Legislativo do estado sobre denúncias de que ela teria abusado de sua autoridade.

O anúncio foi feito depois que legisladores estatais disseram que emitiriam ordens de comparecimento em meio à investigação de denúncias de que Palin tentou influir na demissão de seu cunhado da Polícia.

Em carta aos legisladores, um dos promotores do estado informou que a administração de Palin está disposta a se apresentar perante os tribunais para rejeitar qualquer ordem de comparecimento.

No entanto, a carta sugeriu que se os legisladores admitem que a governadora tem autoridade para revisar arquivos confidenciais de empregados estaduais, os membros de seu pessoal falariam com os investigadores legislativos sem necessidade de ordens judiciais.

O Conselho Legislativo decidiu em julho deste ano investigar se Palin abriu mão dos serviços do comissário de segurança pública do Alasca por ele ter se recusado a demitir Mike Wooten, que havia se separado da irmã da governadora. EFE ojl/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.