Governo diz que, se aprovada, Constituição será aplicada em toda a Bolívia

La Paz, 21 jan (EFE).- O Governo da Bolívia advertiu hoje os opositores autonomistas de que a nova Constituição, caso seja aprovada no domingo, será aplicada em todo o país, e de que não permitirá que pseudorepubliquetas a desacatem.

EFE |

O vice-presidente da Bolívia, Álvaro García Linera, lembrou que a Constituição é de aplicação nacional e, por isso, terá que aceitar a vontade do conjunto dos bolivianos mesmo se o "não" for maioria em alguns departamentos.

García Linera se referiu assim aos opositores autonomistas que exigem uma "renegociação" da nova Carta Magna se o "não" vencer nas regiões no referendo de 25 de janeiro.

"Baseamo-nos na lei, não nos desejos de meia dúzia de pessoas que não lê jornal (...). A circunscrição é nacional, não como estão imaginando alguns desorientados", afirmou García Linera à imprensa.

O projeto que será submetido a referendo no domingo foi pactuado no Congresso entre o partido de Morales e uma parte da oposição, que concordou em introduzir mais de 100 emendas ao texto apresentado pela Assembleia Constituinte, de maioria governista.

O vice-presidente advertiu de que, caso alguém procure o desacato se amparando na vitória do "não" em alguma região, todos os recursos da lei e da democracia serão aplicados, já que se opor à decisão do conjunto dos bolivianos significaria ir contra a democracia e um "desvario mental".

Ele também vinculou os confrontos isolados registrados em alguns pontos do país durante a campanha constitucional à "paixão política" própria das disputas eleitorais. EFE vs/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG