Governo descarta uso de Exército nas ruas de Londres

Ministra britânica do Interior diz que vai consultar a polícia para saber que ajuda é necessária para enfrentar distúrbios

BBC Brasil |

selo

A ministra do Interior da Grã-Bretanha, Theresa May, descartou nesta terça-feira a opção de usar o Exército para tentar conter os tumultos que assolam áreas de Londres há três dias.

Em entrevista à Radio 4, da BBC, May disse ainda que consultaria a polícia para saber que tipo de ajuda a corporação precisa para enfrentar a crise.

May voltou a condenar os ataques, chamando-os de "totalmente inaceitáveis", e afirmou que os responsáveis enfrentarão as consequências de seus atos.

"Sejamos absolutamente claros. Não há desculpa para a violência, não há desculpa para os saques, não há desculpa para o comportamento agressivo. A polícia vai lidar com as situações que surgirem como achar melhor."

Pelo menos 215 pessoas foram presas e outras 27 foram indiciadas no terceiro dia de violência na cidade, de acordo com a ministra.

Canhões de água

Os ataques continuaram na madrugada desta terça-feira, em várias áreas da capital britânica e em outras cidades da Inglaterra. Centenas de jovens saquearam lojas e incendiaram carros e edifícios.

Durante a madrugada, usuários do site Twitter publicaram mensagens pedindo que policiais usassem canhões de água na repressão aos tumultos.

O Ministério do Interior, no entanto, insistiu que não há planos de aprovar o uso de canhões d'água. "O uso de canhões d'água não é aprovado dentro do nosso território pelo Ministério do Interior", disse um porta-voz. "Não acreditamos que eles sejam necessários."

Um porta-voz da Scotland Yard disse que canhões d'água não estão disponíveis na Inglaterra, e teriam que ser trazidos da Irlanda do Norte.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG