Governo de Israel aprova libertação de 250 presos palestinos

Jerusalém, 30 nov (EFE).- O Governo israelense aprovou hoje a libertação de 250 presos palestinos, como o primeiro-ministro Ehud Olmert tinha prometido recentemente ao presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas.

EFE |

A libertação incluirá apenas simpatizantes do movimento nacionalista palestino Fatah, informou o escritório de Olmert.

Cinco ministros se opuseram à decisão, aprovada esta manhã na reunião semanal dos ministros israelenses.

O ministro da Indústria e Comércio, Eli Yishai, líder do partido religioso sefardita Shas, votou contra a medida, por considerar que esta "adia a libertação de Gilad Shalit", o soldado israelense seqüestrado por três milícias palestinas há dois anos e meio e por cuja libertação o movimento islâmico Hamas exige uma troca de presos.

A libertação dos palestinos acontecerá por volta do dia 8 de dezembro, na época da festividade islâmica de Eid al-Adha, quando os muçulmanos imolam um cordeiro em lembrança do sacrifício oferecido por Abraão.

As autoridades israelenses costumam escolher essa data para libertar presos palestinos quando querem fazer um gesto de boa vontade com a ANP, seu interlocutor no diálogo de paz.

A medida busca fortalecer a autoridade de Abbas, líder do Fatah, dentro do movimento palestino e impulsionar a negociação que as partes mantêm desde a conferência de paz de Annapolis, realizada há um ano nos Estados Unidos visando à criação de um futuro Estado palestino.

Em agosto, Israel libertou outros 198 presos palestinos em uma tentativa de estimular o processo de paz. EFE ap/wr/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG