Governo de Honduras reitera que prenderá Zelaya e estende toque de recolher

TEGUCIGALPA - O novo Governo de Honduras reiterou neste sábado que o presidente deposto Manuel Zelaya será preso se entrar no País, como pretende fazer desde sexta-feira, da Nicarágua, e ampliou o toque de recolher na zona fronteiriça.

EFE |

"Estamos prontos para executar a ordem de captura" contra Zelaya, afirmou o novo ministro de Segurança, Mario Perdomo, que desempenha o cargo no lugar de Jorge Rodas e assegurou que o governante deposto na realidade não entrou em Honduras na sexta-feira.

Além disso, um porta-voz presidencial anunciou que o toque de recolher vigente desde sexta-feira na zona fronteiriça com a Nicarágua se estenderá das 18h deste sábado às 6h de domingo, no horário local.

"Estamos analisando a situação e prontos para tornar vigente a captura", afirmou Perdomo à imprensa, depois que o deposto presidente chegou à localidade de Las Manos, por onde tentou entrar em Honduras na sexta-feira.

Questionado sobre a breve entrada de Zelaya em solo hondurenho, na sexta-feira, Perdomo disse que "isso é fácil de responder: ele não ingressou nunca, ele deu um passo na linha fronteiriça e não chegou sequer à zona neutra".

"Nós também não podemos ingressar em um território estrangeiro, então, todos já sabemos que ele nunca ingressou", afirmou.

Leia também:


Leia mais sobre: Honduras

    Leia tudo sobre: hondurasmanuel zelaya

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG