Governo de Honduras mostra abertura a missão da OEA

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) - O governo interino de Honduras sinalizou estar disposto a permitir a visita de uma missão da Organização dos Estados Americanos (OEA) para tentar solucionar a crise criada pelo retorno do presidente deposto Manuel Zelaya ao país, afirmou um representante dos Estados Unidos nesta quarta-feira. O governo interino indicou que está preparado para aceitar outra missão da OEA cujo propósito será facilitar o diálogo em Tegucigalpa entre o presidente Zelaya e o governo interino, explicou o representante norte-americano à Reuters.

Reuters |

"Acredito que é um passo positivo e uma chance que devemos aproveitar."

Zelaya voltou a Honduras na segunda-feira, encerrando quase três meses de exílio. Ele foi deposto em 28 de junho, e voltou a trazer a atenção mundial para sua causa.

Soldados e policiais cercavam a embaixada do Brasil em Honduras em Tegucigalpa, onde Zelaya se refugia no que corre o risco de se tornar um grande impasse que aprofunde a crise política do país.

O representante dos Estados Unidos, que falou em condição de anonimato, afirmou esperar que a missão da ONU inclua o chefe da organização regional, José Miguel Insulza, bem como representantes de Argentina, Canadá, Costa Rica, Jamaica, México, Panamá e República Dominicana.

Ministros do Exterior dos sete países visitaram o país centro-americano em agosto para tentar persuadir o governo interino a aceitar um acordo que reinstalasse Zelaya no poder até a realização de eleições, em novembro.

(Reportagem de Arshad Mohammed)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG