Governo de Honduras anuncia fechamento de todos os aeroportos do país

(Corrige título e primeiro parágrafo) Tegucigalpa, 21 set (EFE).- O Governo do presidente de Honduras, Roberto Micheletti, anunciou hoje após o retorno ao país do chefe de Estado deposto, Manuel Zelaya, que todos aeroportos do país ficarão fechados a partir desta terça-feira.

EFE |

O diretor de Aeronáutica Civil, Alfredo San Martín, disse à rádio HRN em Tegucigalpa que amanhã "se suspendem todo tipo de operações aéreas", e que "a Força Aérea Hondurenha tomará controle dos aeroportos".

Acrescentou que "já se lhe está comunicando às companhias aéreas que não vai haver operações aéreas amanhã".

Os aeroportos de Honduras são Toncontín, em Tegucigalpa; Ramón Villeda Morales, em San Pedro Sula; "Golosón", na Ceiba, e Juan Manuel Gálvez, na ilha caribenha de Roatán.

Zelaya permanece na embaixada do Brasil em Tegucigalpa, capital à qual chegará amanhã o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, segundo o líder deposto.

O presidente deposto indicou que retornou ao país para buscar uma solução à crise através do diálogo e anunciou que hoje mesmo começará a organizar grupos de trabalho com os setores populares e da oposição política que condenam o golpe de Estado, perpetrado dia 28 de junho.

Após confirmar a presença de Zelaya, o presidente em exercício de Honduras, Roberto Micheletti, declarou o toque de recolher em todo o país, que entrou em vigor às 16h local (19h de Brasília) e que finaliza na manhã de terça-feira.

Milhares de seguidores de Zelaya que se colocaram hoje frente à embaixada do Brasil não acataram o toque de recolher e permanecem ali seguindo instruções do presidente deposto, que pediu a eles proteção. EFE gr/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG