Governo de Bangladesh intensifica segurança de candidatas às eleições

Nova Délhi, 24 dez (EFE) - O Governo provisório de Bangladesh ordenou hoje intensificar as medidas de segurança em torno das duas principais candidatas às eleições de 29 de dezembro, depois que, na terça-feira, as forças de segurança encontraram três granadas sem explodir perto de onde uma delas fez um comício. Segundo a edição digital do jornal The Daily Star, o gabinete provisório manteve hoje uma reunião de urgência na sede do Ministério do Interior para planejar a estratégia de segurança durante a próxima semana. O Governo decidiu intensificar a presença de agentes nos comícios das ex-primeiras-ministras e rivais Sheikh Hasina e Khaleda Zia, que desejam liderar o Governo que for eleito no final do ano. Na terça-feira, as forças de segurança acharam três granadas na localidade de Nabiabad, a quatro quilômetros de onde Zia tinha feito um comício uma hora antes. Pouco depois, as forças de elite de Bangladesh detiveram na mesma localidade, após um intenso tiroteio, dois membros do ilegalizado grupo islâmico Jamaat-ul Mujahideen Bangladesh (JMB), que escondiam uma bomba de dez quilos. Há uma conspiração em andamento para evitar que o Partido Nacionalista de Bangladesh (BNP) e sua aliança de quatro partidos concorram às eleições, denunciou hoje Zia, citada pela agência bengali UNB. Quero deixar claro que não há nenhuma razão para que desistamos de concorrer ao pleito, afirmou o líder do BNP. Houve uma tentativa de assassinato contra mim....

EFE |

As autoridades descobriram hoje outras duas granadas na mesma região, enquanto os comandos bengaleses continuam com uma operação contra membros do JMB.

Zia, que lidera uma coalizão de centro-direita com um aliado islâmico -o Jamaat-e-Islami-, concorre com o líder da Liga Awami, e Hasina, que concorre junto a vários partidos esquerdistas e uma formação cujo líder é um ex-chefe do Exército. EFE amp/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG