Governo da Mongólia suspende estado de exceção

O governo da Mongólia suspendeu na noite deste sábado o estado de exceção no país, cujo presidente, Nambariin Enkhbayar, fez um apelo à calma depois dos episódios de violência pós-eleitoral, que deixaram cinco mortos e mais de 300 feridos.

AFP |

"Podemos discutir a situação, mas com lealdade e sem violência", declarou Enkhbayar durante uma entrevista coletiva transmitida pela TV nacional para anunciar o fim das medidas de exceção, decretadas na terça-feira passada.

Uma série de suspeitas de fraude nas eleições legislativas realizadas no domingo passado na Mongólia provocaram violentas manifestações na terça-feira, em Ulan Bator.

"Todos devem trabalhar pelo país. Se pensam que algo vai mal, devem discutir isto pacificamente", disse Enkhbayar.

"Não devemos resolver a crise com violência. É preciso trabalhar juntos para resolver os problemas através dos meios legais".

A calma voltou às ruas da capital da Mongólia, onde já não há mais patrulhas militares.

Os principais dirigentes dos partidos mongóis se reuniram hoje para resolver a crise, revelou Yondon Otgonbayar, secretário-geral do Partido Popular Revolucionário Mongol (PPRM, ex-comunistas), que ganhou as eleições.

mbx/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG