Governo da Costa Rica ordena tratamento gratuito para gripe

San José, 6 ago (EFE).- O Governo da Costa Rica declarou de interesse público o tratamento contra a gripe suína, por isso os centros de saúde privados e públicos têm obrigação de oferecer o remédio de maneira gratuita, informou hoje uma fonte oficial.

EFE |

O Ministério da Saúde costarriquenho indicou, em comunicado, que "esta é uma das medidas oportunas e racionais tomadas pelo Governo para não prejudicar o desenvolvimento social e econômico do país, e é um compromisso com as pessoas afetadas que contribui com a redução do impacto da epidemia".

As autoridades de saúde também estabeleceram convênios com três dos principais hospitais privados do país, para que, além de fornecer - sem custo adicional - o tratamento médico aos pacientes, despachem de suas farmácias o antiviral a outros serviços privados ou consultórios pequenos.

O remédio utilizado na Costa Rica para tratar o vírus é o oseltamivir, que não está no mercado e só pode ser fornecido pelo Ministério da Saúde.

A ministra da Saúde costarriquenha, María Luisa Ávila, disse que o tratamento da gripe suína deve começar nas primeiras 72 horas, já que está provado que este tempo é um fator-chave para prevenir as complicações e, portanto, as hospitalizações e mortes.

A Costa Rica informa, até o momento, sobre 25 mortes por causa da gripe suína e 755 pacientes desde o surgimento do vírus no país, em maio.

A maioria das vítimas fatais apresentava doenças de fundo como obesidade, asma, diabetes ou doenças crônicas respiratórias e cardíacas.

A Costa Rica se encontra no pico mais alto da pandemia e, segundo as autoridades poderia haver uma diminuição considerável dos casos nas próximas duas semanas.

As autoridades mantêm as recomendações à população para que lave constantemente as mãos, não saia de casa se tiverem sintomas de gripe e vá aos centros de saúde se apresentar febre alta e dor no corpo.

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados. EFE dmm/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG