O governo indiano na Caxemira afirmou que vai revogar a decisão de transferir terras com florestas para a organização que gerencia um importante templo hindu. A notícia de que a diretoria do Templo Amarnath iria ficar com a administração das terras desencadeou protestos na região, que é de maioria muçulmana.

Quatro pessoas morreram e centenas ficaram feridas nas manifestações.

Os protestos foram os maiores ocorridos na região nos últimos anos e acabaram se ampliando, com exigências de grupos pró-independência.

Segundo o correspondente da BBC em Nova Déli Chris Morris os protestos continuaram por toda a Caxemira neste domingo. Lojas, escritórios e empresas permaneceram fechados.

Protestos continuam
Mesmo depois de o ministro-chefe da Caxemira, Ghulam Nabi Azad, ter feito o anúncio da suspensão da transferência das terras, muitos dos grupos que já estavam envolvidos nos protestos afirmaram que iria continuar com as manifestações.

O que começou como o protesto contra a transferência das terras, uma área de cerca de cem acres de floresta, se transformou em manifestações pela independência da região.

E estes protestos se transformaram nas maiores manifestações de rua desde a revolta contra o governo indiano há cerca de vinte anos.

De acordo com Chris Morris as conseqüências já começam a ser sentidas, um grande parceiro da coalizão de governo retirou seu apoio.

E em outras regiões da Índia grupos nacionalistas hindus alertaram que qualquer tentativa de transferência da terra não será tolerada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.