LA PAZ (Reuters) - O presidente boliviano, Evo Morales, disse na quinta-feira que suspenderá o estado de sítio no Departamento de Pando (norte) antes de 23 de novembro, quando começa a campanha para o referendo constitucional de janeiro. A Constituição autorizaria a manutenção do estado de sítio - decretado em 12 de setembro - por até 90 dias, mas a lei de convocação do referendo proíbe restrições às liberdades individuais durante a campanha.

"Não há estado de sítio eterno...O estado de sítio terminará no máximo até o dia 23", disse Morales em discurso num quartel de La Paz, por ocasião do aniversário das Forças Armadas.

A Corte Nacional Eleitoral recentemente ameaçou suspender o referendo se fosse mantido o estado de sítio em Pando, decretado pelo governo por causa de um massacre de camponeses, supostamente ordenado pela oposição de direita. O governador da região, fronteiriça com o Acre, foi preso devido ao incidente.

A aprovação da nova Constituição é uma das principais metas políticas do esquerdista Morales. A nova Carta amplia o poder da maioria indígena, aumenta a participação do Estado na economia e promove uma reforma agrária parcial.

(Reportagem de Eduardo Garcia)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.