Governo da Bolívia acusa diplomata americano de espionagem

La Paz, 27 fev (EFE).- O Governo da Bolívia insistiu hoje em acusar um diplomata da Embaixada dos Estados Unidos em La Paz de realizar trabalhos de espionagem para a Agência Central de Inteligência (CIA), acusação negada por Washington.

EFE |

O ministro de Governo (Interior), Alfredo Rada, disse hoje em entrevista coletiva que Francisco Martínez, que segundo o Departamento de Estado dos EUA é um diplomata de seu país, realiza "trabalhos de coordenação, ligação e articulação" com pelo menos um agente da CIA que operava na Bolívia.

Rada afirmou que Martínez se reunia com Rodrigo Carrasco, ex-capitão da Polícia boliviano, que o presidente Evo Morales, por sua vez, acusara de ser um agente da CIA infiltrado na Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB).

A estatal petrolífera foi intervinda no mês passado por um escândalo de corrupção que levou Morales a destituir a seu presidente, Santos Ramírez, atualmente em prisão preventiva por suspeita de envolvimento como caso.

"Se há alguém na Embaixada dos EUA na Bolívia ou em algum outro lado que acredita que não conhecemos algumas atividades realizadas especificamente por Francisco Martínez, se estão equivocando", advertiu o ministro.

Nem ele nem Morales apresentaram provas de suas acusações. EFE az/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG