Governo critica difusão da mensagem de Natal de Ahmadinejad no Reino Unido

O ministério britânico das Relações Exteriores denunciou nesta quinta-feira a divisão pelo Chanel Four de uma mensagem de Natal do presidente iraniano Mahmud Ahmadinejad.

AFP |

"O presidente Ahmadinejad pronunciou uma série de declarações anti-semitas horríveis. A mídia britânica é livre para fazer sua escolha editorial, mas este convite vai suscitar consternação e ultraje não apenas aqui, mas em países amigos", afirmou um porta-voz ministerial.

Ahmadinejad foi convidado a ler uma mensagem de Natal em um programa da TV britânica, rivalizando com o discurso que a rainha Elizabeth II lê anualmente na ocasião.

Um porta-voz do Chanel Four afirmou que se trata de uma mensagem espiritual e inclui os votos de boas festas de Ahmadinejad.

Desde 1993, o Chanel Four convida uma personalidade para transmitir uma mensagem natalina alternativa ao tradicional discurso anual da rainha, mas Ahmadinejad é o convidado de maior notoriedade desde então.

O presidente da República Islâmica iraniana começa a mensagem felicitando os britânicos e os cristãos pelo aniversário do nascimento de Jesus, que, para o Islã, é um de seus profetas.

Depois declara: "Se Cristo estivesse no mundo hoje em dia, não há dúvidas de que estaria junto ao povo em sua oposição às potências agressivas e expansionistas".

"Se Cristo estivesse no mundo hoje em dia, não há dúvida de que exibiria a bandeira da justiça e do amor pela humanidade para se opor aos belicistas, aos invasores, aos terroristas e aos tiranos do mundo", acrescenta.

Falando em persa, o presidente iraniano afirma que os problemas da humanidade se devem à falta de religião e prediz que Cristo voltará à Terra para "guiar o mundo para o amor, a fraternidade e a justiça".

Ahmadinejad conclui sua mensagem dizendo que reza "para que o novo ano seja um ano de felicidade, de prosperidade, de paz e de fraternidade para a humanidade".

A diretora de informação e temas de atualidade do canal, Dorothy Byrne, declarou que, "como líder de um dos Estados mais poderosos do Oriente Médio, as opiniões do presidente Adhmadinejad tem uma grande influência. (Queremos) oferecer a nossos telespectadores elementos para ter uma visão alternativa do mundo", explicou.

As relações entre a Grã-Bretanha e o Irã são difíceis principalmente devido ao polêmico programa nuclear iraniano.

Leia mais sobre: Irã

    Leia tudo sobre: irã

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG