Governo colombiano estuda declarar estado de emergência por causa de crise

Bogotá, 16 nov (EFE).- O Governo da Colômbia estuda a possível declaração do estado de emergência econômica para conduzir a crise social causada pelos escritórios que captam dinheiro ilegalmente e que prejudicam milhares de poupadores, informou hoje uma fonte oficial.

EFE |

Uma fonte do Governo disse à Agência Efe que a equipe jurídica da Presidência já estudou a possibilidade de decretar este estado especial, que está previsto pela Constituição colombiana para permitir ao Governo que dite medidas com força legislativa em casos especiais por um prazo inicial de 30 dias.

O presidente Álvaro Uribe teve várias reuniões com seus assessores desde a última sexta e nas próximas horas se reunirá novamente com todo o gabinete para adotar a decisão, declarou a fonte.

"O interesse do Governo é garantir que os poupadores recuperem seu dinheiro", declarou a mesma fonte e acrescentou que se projeta reformar as normas para tipificar como crime a captação de dinheiro pelas empresas não autorizadas.

O fenômeno das "pirâmides" entrou em crise na semana passada quando começaram a desaparecer os responsáveis por vários escritórios que recebiam dinheiro em moeda em troca de pagar interesses de até 300%.

Segundo o Governo, nos últimos três anos funcionaram no país pelo menos 240 destas companhias piratas que puderam arrecadar cerca de US$ 800 milhões oferecendo triplicar os fundos.

Na última quarta foram registrados distúrbios em várias cidades colombianas, nas quais foi decretado o toque de recolher para conter os protestos, que deixaram dois mortos, enquanto um terceiro poupador frustrado se suicidou. EFE gta/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG