Governo colombiano desrespeitou garantias de segurança na libertação de reféns

O jornalista Daniel Samper, membro da comissão que foi resgatar quatro reféns libertados domingo pela guerrilha das Farc, afirmou nesta sexta-feira que o Exército da Colômbia sobrevoou o local de entrega, desrespeitando as garantias de segurança e colocando a operação em perigo.

AFP |

Depois desta acusação, o ministério da Defesa admitiu "um erro de boa fé".

"O governo desrespeitou de forma muito grave as normas instauradas pelo protocolo de segurança ao sobrevoar a zona de libertação dos reféns", declarou Samper à rádio colombiana Caracol, destacando que "a guerrilha suspendeu provisoriamente a operação" em consequência destes sobrevoos.

O jornalista integrava a comissão que foi resgatar no domingo quatro reféns no departamento de Caqueta (sul), a bordo de um helicóptero Cougar cedido pela Força Aérea Brasileira ao Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV).

Domingo, outro jornalista desta comissão, Jorge Enrique Botero, afirmou em entrevista à rede de TV venezuelana Telesur que o governo colocara a operação em perigo com estes sobrevoos.

Outras duas libertações previstas para terça e quinta-feira aconteceram sem maiores transtornos. Porém, devido à polêmica provocada pelas declarações de Botero, a composição da comissão havia sido modificada, incluindo apenas a senadora Piedad Córdoba e três delegados do CICV.

"Houve sobrevoos, e esses sobrevoos criaram tensão no local" para a entrega dos reféns, havia reclamado à AFP o porta-voz do CICV, Yves Heller.

sab/yw/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG