A guerrilha colombiana das Farc fixou como prioridade cometer atentados de grande impacto, relegando a troca de seqüestrados por rebeldes presos, denunciou o governo de Bogotá.

O alto comissário para a paz, Luis Carlos Restrepo, afirmou que não existe nenhuma informação de que as Farc planejam liberar alguns dos 28 reféns - três políticos e 25 policiais e militares - que esperam trocar por 500 de seus prisioneiros.

"Ao contrário, sabemos que para as Farc o tema dos seqüestrados neste momento não é prioritário, eles basicamente estão interessados em organizar novamente sua capacidade terrorista e produzir alguns atos terroristas de impacto", declarou Restrepo.

axm/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.