Governo chinês mostra preocupação com situação na Ossétia do Sul e Abkházia

Pequim, 27 ago (EFE).- O Governo chinês expressou hoje sua preocupação com a independência da Ossétia do Sul e da Abkházia, reconhecida na terça-feira pelo presidente russo, Dmitri Medvedev.

EFE |

"A China está preocupada com os últimos eventos na Ossétia do Sul e na Abkházia", afirmou hoje o porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores chinês, Qin Gang.

A Geórgia e outros países são contra a independência destas duas regiões.

"Tivemos conhecimento da complicada história e realidade dos problemas da Ossétia do Sul e da Abkházia", disse o porta-voz.

"Em consonância com a atitude de coerência e de princípios da China neste tipo de problema, esperamos que as partes envolvidas possam resolver o conflito através do diálogo e das consultas", concluiu.

A China e a Rússia, dois países com assento permanente no Conselho de Segurança da ONU e unidos comercialmente pelo fornecimento russo de hidrocarbonetos, mantiveram posturas semelhantes em conflitos internacionais, como a crise nuclear iraniana e a norte-coreana.

Pequim, que em seu próprio território enfrenta conflitos independentistas como o do Tibete e de Xinjiang, aplica o princípio de não ingerência em crises semelhantes em outros países. EFE mz/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG