Governo chinês diz que vítimas de terremoto precisam de ajuda

Pequim, 3 set (EFE).- O terremoto que atingiu o sul da China no dia 30 de agosto - causando 40 mortes - deixou cerca de 450 mil desabrigados e muitas destas pessoas agora precisam de roupa e abrigos para se protegerem do frio, informou hoje o Governo chinês.

EFE |

Apesar de o terremoto ter sido de menor gravidade que o que castigou a mesma região em 12 de maio causando cerca de 90 mil mortes, funcionários do Ministério de Assuntos Civis da China reconheceram hoje que muitos dos desabrigados são de comunidades muito pobres das montanhas, cujas casas ficaram completamente destruídas.

"Cerca de 85% das casas da região são de barro ou adobe e ficaram muito danificadas", declarou em entrevista coletiva Huang Jianfa, porta-voz do Ministério citado, que reconheceu que uma das prioridades é atender às pessoas que ficaram desabrigadas diante da iminente chegada do outono.

Huang acrescentou que continua havendo risco de que aconteçam "desastres secundários" derivados do terremoto do último fim de semana, já que ainda há risco de desabamentos na região.

O terremoto teve seu epicentro no limite entre Yunnan e Sichuan, província esta na qual aconteceu o terremoto de maio, apesar de um sismólogo consultado na mesma entrevista coletiva ter afirmado que não se trata de uma "réplica".

"O terremoto de Wenchuan (registrado em 12 de maio) liberou uma grande quantidade de energia e agora esta região a está equilibrando", declarou o sismólogo, de sobrenome Liu. EFE abc/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG