Governo chileno diz não saber se corpo achado nos EUA é de estudante sumida

Santiago do Chile, 8 ago (EFE).- O Governo do Chile disse hoje que não tem certeza alguma de que o cadáver achado em um rio da cidade americana de Morgantown (Virgínia Ocidental, EUA) é o da chilena que desapareceu há quatro dias na região.

EFE |

"Até agora, não termos certeza alguma de que o corpo achado seja o de Carmen Gloria (Sánchez Gutiérrez)", disse em entrevista coletiva o ministro das Relações Exteriores do país, Alejandro Foxley.

"Posso dizer que nosso cônsul em Washington, Rodrigo Arcos, já se encontra no local, e que estamos à espera da chegada nos Estados Unidos das arcadas dentárias enviadas (do Chile) para serem usadas na identificação do corpo", acrescentou Foxley.

Carmen Gloria Sánchez, de 36 anos, estudava inglês havia quatro meses em uma universidade local. Segundo familiares da mulher, na segunda-feira, enquanto comia com amigos em um restaurante de Morgantown, saiu para dar um telefonema e não voltou mais.

Ontem, a Polícia encontrou o corpo de uma mulher nas águas do rio Monongahela, que fica bem perto do restaurante no qual Carmen Gloria foi vista pela última vez.

"Vamos ficar o dia todo em contato com a família. Estamos acompanhando o caso minuto a minuto e esperamos que isto possa ser elucidado o mais rápido possível", acrescentou o chanceler chileno.

Foxley disse que, em casos como o da estudante, "é preciso ser extremamente cauteloso" e aguardar o resultado das análises científicas.

Carmen Gloria era especialista em esportes radicais. Formada na Escola de Guias da Patagônia, no sul do Chile, ela foi enviada pela instituição para um curso de aperfeiçoamento nos EUA, onde também melhorava o seu inglês. EFE mc/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG