Governo chileno confirma descoberta de ossos de supostas vítimas da ditadura

Santiago do Chile, 17 jul (EFE).- O Governo chileno confirmou hoje a descoberta de ossadas na região próxima à cidade de Diego de Almagro, que poderiam ser de presos políticos executados em 1973 pela ditadura de Augusto Pinochet.

EFE |

A presidente do país, Michelle Bachelet, visitou a área e disse que o Governo realizará "todo o esforço para poder identificar estes restos mortais".

"É uma situação extremamente difícil. Cada vez que aparece alguma ossada, há uma esperança por um lado, mas por outro há uma dor intensa", disse.

A governante afirmou que os resultados dos testes serão enviados à Europa e Estados Unidos, para que sejam feitos exames de DNA.

O secretário regional do Governo da região de Atacama, Armando Flores, disse que foram encontrados ontem dois cadáveres a 20 quilômetros de Diego de Almagro.

Durante a ditadura de Augusto Pinochet, mais de 3 mil pessoas morreram no Chile, enquanto 1.297 presos desapareceram. EFE pg/plc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG