Governo Chávez adverte que líder opositor pode virar fora-da-lei

Caracas, 21 abr (EFE).- O Governo do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, advertiu hoje que o líder opositor Manuel Rosales se tornará foragido da Justiça caso insista em evitar mostrar sua inocência no julgamento que enfrenta por corrupção.

EFE |

"Ontem ele deveria se apresentar para demonstrar sua inocência, porque na Venezuela há presunção de inocência até que se demonstre o contrário. Porém, hoje parece que está fora do país", disse o ministro do Interior, Tareck el-Aissami.

"Caso não vá aos tribunais competentes, será um foragido da Justiça e, em consequência, serão ativados os mecanismos legais para sua captura internacional", reiterou o ministro em coletiva de imprensa.

Aissami ressaltou que o ex-candidato presidencial enfrenta acusações que se referem a "delitos comuns, delitos de corrupção, e não de natureza política".

A ausência de Rosales no tribunal de Caracas encarregado da causa levou a corte a fixar para 11 de maio outra audiência.

O político, candidato opositor nas eleições presidenciais de 2006 e atual prefeito da cidade ocidental de Maracaibo, disse que ir ao tribunal "seria um sacrifício inútil".

Por isso, anunciou, através de dirigentes de seu partido, que pediria "asilo político" em um "país amigo".

O ministro das Relações Exteriores do Peru, José Antonio García Belaúnde, disse hoje que Rosales está em seu país como turista.

Tareck el-Aissami afirmou ainda que "a imprensa de direita" pretende armar "um julgamento paralelo nos tribunais midiáticos, tentando impor uma opinião" de que Rosales é um perseguido político.

"Desmentimos categoricamente que ele seja um perseguido político.

Não há absolutamente nada mais" que um processo judicial penal que recentemente foi iniciado contra ele, frisou o ministro. EFE ar/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG